logo

slogan

ufscar

Cadastre-se e receba as novidades sobre a Agência Inovação da UFSCar por e-mail
parceiros_top

failogopequeno

 

fortec

 

inpi

 

parceiros_bottom

Redes Sociais

face twitter youtube

Anticoagulante: ?O remédio não pode ser pior do que a doença?

Ter, 19 de Maio de 2020 11:51

A cientista Helena Nader afirma que heparina pode impedir a entrada do coronavírus nas células, mas ressalta que pesquisa está no início e substância oferece riscos

 

A heparina, fármaco anticoagulante mais conhecido do mundo, pode impedir que o novo coronavírus invada as células, em testes conduzidos em laboratório. A descoberta é de cientistas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e colaboradores europeus. E, se comprovada por mais pesquisas, trará esperança contra a Covid-19. À frente do estudo, a biomédica Helena Nader, uma das cientistas mais conhecidas e premiadas do Brasil, afirma que ainda é preciso desenhar uma forma de heparina específica contra o coronavírus. Ela adverte que mesmo o uso do anticoagulante para tratar os microtrombos que agravam a doença precisa ser feito com extremo cuidado. “Heparina não é panaceia, tudo tem risco”, frisa.

 

O que seu grupo descobriu?

 

Mostramos que, em cultura de células, a heparina impede a invasão do coronavírus em 70%. Isso foi feito numa cultura de células de macaco, por motivo de segurança. Ela faz isso ao evitar que o Sars-CoV-2 se ligue às células. A heparina se gruda à proteína S1 do coronavírus, a chamada proteína espícula. Essa proteína é a chave que o vírus usa para entrar numa célula, se replicar e, assim, se espalhar pelo corpo.

 

Por que a senhora decidiu estudar a ação da heparina?

 

Estudo a heparina há quatro décadas, dediquei minha vida a ela. É maravilhosa, há beleza na forma como se organiza. O que chamamos de heparina, na verdade, é um conjunto de moléculas em perfeita harmonia. Não é apenas um anticoagulante, tem muitas funções. E sabíamos que uma delas era a atividade contra o mecanismo de invasão dos vírus. Isso chegou a ser testado contra o HIV, nos anos 1980, não funcionou. Achamos que poderia ser eficaz contra o coronavírus e fomos testar, num projeto apoiado dentro do programa contra a Covid-19 da Fapesp.

 

Fonte: Jornal da Ciência, 11/05/2020, com informações de O Globo

 
free poker
logo_rodape
Agência de Inovação da UFSCar - Rodovia Washington Luís, km 235 - Caixa Postal 147 CEP: 13565-905
São Carlos, SP - Brasil - Tel: (16) 3351.9040 - inovacao@ufscar.brmaps
mapa