logo

slogan

ufscar

Cadastre-se e receba as novidades sobre a Agência Inovação da UFSCar por e-mail
parceiros_top

failogopequeno

 

fortec

 

inpi

 

parceiros_bottom

Redes Sociais

face twitter youtube

CONECTI integra dados nacionais de educação, ciência, tecnologia e inovação

Qua, 07 de Agosto de 2019 09:33

Será assinada nesta quarta-feira, 07, em Brasília, a formação do Conecti Brasil, o Consórcio Nacional em Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação que integra diversos dados por meio de uma plataforma digital. O objetivo é garantir a oferta de serviços digitais a todo o ambiente de pesquisa, passando por universidades e financiadores, que produzam e compartilhem dados. Estão envolvidos pesquisadores, professores, instituições e agências de fomento. Produtos científicos, como teses, dissertações, livros e artigos, projetos, eventos e prêmios também compõem esse universo de informações.

 

A ideia do consórcio nasceu em 2018 quando seis instituições formaram uma parceria para contratação dos serviços de identificador digital de pesquisadores (ORCID - Open Researcher and Contributor ID), em escala nacional. Integram o Conecti a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP), o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), a Biblioteca Eletrônica Científica Online (Scielo) e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

 

No âmbito do CNPq, essa é uma das iniciativas que buscam aprimoramento e modernização da Plataforma Lattes por meio da oferta de novos serviços e parcerias e integração de dados com outras agências e surge em um momento histórico, no mês em que a Plataforma completa 20 anos de criação. Considerada uma das iniciativas mais importantes do CNPq, a Plataforma Lattes representa a experiência do CNPq na integração de bases de dados de Currículos, de Grupos de pesquisa e de Instituições em um único Sistema de Informações. Sua dimensão atual se estende não só às ações de planejamento, gestão e operacionalização do fomento do CNPq, mas também de outras agências de fomento federais e estaduais, das fundações estaduais de apoio à ciência e tecnologia, das instituições de ensino superior e dos institutos de pesquisa. Além disso, se tornou estratégica não só para as atividades de planejamento e gestão, mas também para a formulação das políticas do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, e de outros órgãos governamentais da área de ciência, tecnologia e inovação. Uma premissa de seu funcionamento, a disponibilização pública dos dados da Plataforma na Internet permite maior transparência e mais confiabilidade das informações registradas, por meio do controle social. Além disso, a Plataforma Lattes tem também o importante papel de preservar a memória da atividade de pesquisa no país.

 

O CONECTI

 

O objetivo inicial da contratação firmada no ano passado era oferecer aos participantes os benefícios de uma plataforma que fornecesse um identificador persistente de pessoas e serviços essenciais à apropriada gestão da atividade de pesquisa, como recuperação automática de dados de publicações das principais bases de dados. Além disso, que evitasse a duplicidade de informações requeridas para a devida associação com seus respectivos autores e instituições.

 

Com o andamento do trabalho, a equipe percebeu que esse identificador seria apenas uma das etapas para se preencher com qualidade, na velocidade e com a abrangência desejadas, a lacuna existente de dados. A decisão dos parceiros foi expandir as atividades e assim criou-se o Conecti.

 

Entre os objetivos estão a inserção e utilização de dados dos principais sistemas nacionais de informação de pesquisa das instituições participantes, como as plataformas Sucupira, Lattes, Oasis, BDTD e CONFAP-CRIS. Pretende, ainda, acelerar a geração e oferta de dados com qualidade e facilitar o estabelecimento de novos acordos e parcerias internacionais em moldes similares ao do estabelecido com ORCID. Outra finalidade é acentuar a visibilidade e a capacidade de descoberta dos agentes produtores e promotores de ciência nacionais.

 

Dirigentes das seis instituições parceiras do CONECTI falam das expectativas do consórcio e das ações que já estão em desenvolvimento:

 

ANDERSON CORREIA, PRESIDENTE DA CAPES

 

Expectativas: O Conecti proporcionará oportunidades de ganhos significativos de eficiência e economia de esforços à comunidade científica e a possibilidade para que as instituições disponham de informações abrangentes que auxiliem a melhor gerir suas atividades e recursos de ensino e pesquisa. Com isso, há benefícios em tempo e divulgação das pesquisas. Para a sociedade em geral, o consórcio representa acesso a mais conhecimento, melhor transparência na prestação de contas e maior visibilidade internacional para o País.

 

Ações da CAPES: O primeiro serviço oferecido no âmbito do CONECTI é a possibilidade de acesso aos sistemas da CAPES utilizando o ORCID. Isso irá garantir a identificação correta do pesquisador, inclusive os estrangeiros, nas bases de dados, o que é o primeiro passo para prosseguir com as demais ações de coleta automática de dados.

 

Além disso, estão em discussão ações de integração da Plataforma Sucupira com o Lattes do CNPq e com o Banco de Teses e OASIS-BR do IBICT .

 

JOÃO LUIZ FILGUEIRAS DE AZEVEDO, PRESIDENTE DO CNPq
Expectativas: Vejo nesse consórcio uma excelente oportunidade para uma atuação mais inteligente das agências de fomento brasileiras, trazendo mais racionalidade e economicidade num cenário tão desfavorável. Contamos com dezenas de instituições que financiam pesquisa em nível federal e estadual, além de empresas. Com esse emaranhado de informações e sistemas, o CONECTI pretende ampliar as cooperações em prol da diminuição da burocracia e fragmentação com a utilização dos mais diversos identificadores de pessoas, instituições, projetos de pesquisa e produções científicas e tecnológicas (CPF, CNPJ, ORCID, ISNI, RingGold, Researcher ID etc), fornecendo melhores serviços aos pesquisadores. Espera-se que, com a visão mais ampla dos financiamentos e melhor mapeamento de resultados obtidos, sejamos mais capazes de dar respostas assertivas à imprensa e ao público em geral, fazendo com que o setor de educação, ciência, tecnologia e inovação se fortaleça.

 

Ações do CNPq: Dentro desse esforço, foi recentemente implementada no Lattes a possibilidade de inserção do ORCID, o que permitirá em breve que muitas informações sejam automaticamente recuperáveis de outras bases, sem a necessidade de novo preenchimento pelo pesquisador. Mesma lógica vale para a colaboração com o IBICT , com a integração com a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) e com o Portal de Acesso Aberto OASIS-BR. Por exemplo, quando uma tese for depositada na BDTD, o pesquisador receberá uma notificação em seu CV Lattes para validar a informação já existente (certificação) ou incluí-la caso se trate de nova titulação (autopopulação) Outros projetos estão sendo estudados, que envolvem o Diretório de Instituições (DI) e o Diretório dos Grupos de Pesquisa (DGP).

 

ABEL PACKER, DIRETOR DA SCIELO

 

Expectativa: O CONECTI contribuirá para estruturar a interoperabilidade entre as instâncias, processos e conteúdos da produção científica do Brasil. Contribuirá para o melhoramento das capacidades e infraestruturas em gestão de informação e comunicação científica que se traduzirá em maior reconhecimento e visibilidade da pesquisa do Brasil.

 

Ações da SCIELO: A ação principal que o Programa SciELO vem desenvolvendo no contexto do CONECTI é a exigência de identificação do ORCID dos autores dos artigos de periódicos indexados na coleção SciELO, o que viabiliza a plena interoperabilidade e visibilidade dos autores e das suas pesquisas. Ações complementares se referem a serviços de interoperabilidade com instâncias internacionais.

 

NELSON SIMÕES DA SILVA, DIRETOR DA RNP

 

Expectativa: Ao integrar os principais agentes promotores da ciência brasileira, o consórcio permitirá otimizar a gestão de dados da pesquisa e de pesquisadores: (1) reduzindo o tempo de registro atualmente realizado em múltiplas fontes, (2) proporcionando a melhoria da qualidade dos dados disponíveis e, consequentemente, (3) garantindo a geração de conhecimento da Ciência no país de forma mais sistêmica para melhor subsidiar políticas públicas.

 

A Plataforma ConectiBR proporcionará ao ecossistema de pós-graduação e ciência brasileiro oportunidades de ganho significativo de eficiência e economia através da geração e oferta aberta de informações abrangentes, precisas e atualizadas sobre todas as entidades e agentes que produzem ou fomentam ciência no Brasil. Serão dados sobre pesquisadores, instituições, projetos e seus, respectivos, produtos científicos. Tais dados auxiliarão agências governamentais, organizações de ensino, de fomento e até o pesquisador individual a melhor gerir e planejar suas atividades e recursos.

 

Dessa fonte de dados fundamentais, novos serviços de informação e de apoio à decisão poderão ser mais fácil e rapidamente desenvolvidos pelas instituições, de forma inclusiva, colaborativa e aberta, quiçá pela própria comunidade acadêmica e científica.

 

Para a RNP, mais do que uma plataforma tecnológica, o grande desafio é a criação de um modelo de dados que apoie e integre todos os agentes envolvidos, de forma a garantir informações integradas, acessíveis e confiáveis de órgãos de fomento, projetos e pesquisadores. Tal desafio só poderia ser superado por meio do esforço conjunto, no âmbito do consórcio CONECTI, onde todos juntos se unem para resolver o que não poderia ser resolvido por um ator sozinho.

 

Ações da RNP: A RNP como membro técnico do CONECTI vem desenvolvendo uma solução para integrar os sistemas dos entes do consórcio com a plataforma ORCID (Open Researcher and Contributor ID). Exemplos desses sistemas são: a Plataforma Sucupira da Capes; a Plataforma Lattes do CNPq; o OASIS do IBICT; o CONFAP-CRIS do CONFAP. Essa solução integradora, por meio do ORCID, permitirá inicialmente recuperar, cadastrar e/ou atualizar os dados de currículo do pesquisador. A solução está hospedada na infraestrutura da RNP bem como os dados. Essa abordagem foi adotada para garantir que todos os membros tenham a mesma versão do sistema de integração com o ORCID.

 

CECÍLIA LEITE, DIRETORA DO IBICT

 

Expectativa: Nossa expectativa, hoje, não difere daquela acordada nas reuniões em que participei voltadas à constituição do Consórcio ORCID, isto é: que tenhamos um sistema de informação de financiamento de pesquisa que integre dados das agências de fomento, devidamente padronizados, capaz de interoperar com os sistemas existentes no IBICT e outros em desenvolvimento, como, por exemplo, a base de instituições e de editais. Ao final, esses sistemas integrarão o ecossistema nacional de informação de pesquisa (sistema de sistemas), isto é, o próprio BRCRIS. Esse grande sistema, fruto de 5 anos de estudos conceituais desenvolvidos pelo IBICT, será apoiado em padrões de interoperabilidade, sistemas de classificação de pesquisa, entre outros.



Ações do IBICT:

 

¿ Constituição de uma base de instituições padronizada, referência nacional para cadastro de instituições de ensino e pesquisa, de forma a promover a integração entre sistemas de informação, por meio de identificadores persistentes.
¿ Constituição de um modelo padronizado de editais de fomento à pesquisa, referência nacional para chamadas de financiamento, de forma a facilitar sua futura integração aos sistemas a eles vinculados.
¿ Integração da Plataforma Lattes ao OASISBR -- o "Portal Brasileiro de Publicações Científicas em Acesso Aberto", um repositório integrado da produção científica (que contém a Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações - BDTD).
¿ Constituição de um protótipo de sistema de informação contendo todos os módulos de um CRIS, utilizando registros do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT), que representam volume significativo de pesquisas e resultados em áreas de impacto no Brasil.

 

EVALDO FERREIRA VILELA, PRESIDENTE DO CONFAP

 

Expectativa: Esperamos que a integração de conteúdo das instituições que participam do consócio promova uma racionalização de recursos e esforços, dando mais agilidade e qualidade aos processos de seleção e avaliação das políticas de fomento. Isto é particularmente importante na gestão dos convênios que as Faps realizam com outras instituições do Conecti.

 

Além disso, com informações integradas é possível consolidar os resultados gerados pelas pesquisas e inovações tecnológicas e demonstrar a importância deste setor para o desenvolvimento do país.

 

A maior transparência das informações sobre ciência e Tecnologia é outro resultado que poderá trazer grande impacto na forma como se faz gestão do sistema de CT&I, não apenas por demonstrar onde o recurso está sendo aplicado, mas também pelos benefícios que trará para a comunidade científica, uma vez que tornará mais claro o que está sendo desenvolvido por outros pesquisadores e qual a estrutura disponível para realização das pesquisas; poderá impactar a sociedade, na medida em que permitirá visualizar os resultados gerados nas pesquisas e a agências de fomento, pois fornece subsídios para o aperfeiçoamento das suas políticas de fomento e estabelecimento de novas parcerias estratégicas.

 

Um resultado indireto, mas nem por isto menos importante, é a oportunidade que a participação no consórcio traz de se conhecer melhor os demais agentes do sistema de C,T&I: suas boas práticas, forma de operação, dificuldades e estratégias, o que será vital para estabelecimento de novas e frutíferas parcerias.

 

Ações do Confap: Enquanto signatário, o Confap participa ativamente dos encontros e decisões do ConectiBrasil. Além disto, está desenvolvendo, em parceria com a RNP, um sistema que integrará os dados das diversas Faps do país, permitindo uma visão detalhada do fomento realizado por estas agências. Uma vez concluído, este sistema poderá se integrar às demais plataformas do Conecti, permitindo uma visão global do fomento à pesquisa e inovação no país.

 

Fonte: Portal CNPq, com informações da CCS/CAPES

 
free poker
logo_rodape
Agência de Inovação da UFSCar - Rodovia Washington Luís, km 235 - Caixa Postal 147 CEP: 13565-905
São Carlos, SP - Brasil - Tel: (16) 3351.9040 - inovacao@ufscar.brmaps
mapa