logo

slogan

ufscar

Cadastre-se e receba as novidades sobre a Agência Inovação da UFSCar por e-mail
parceiros_top

failogopequeno

 

fortec

 

inpi

 

parceiros_bottom

Redes Sociais

face twitter youtube

Agências de fomento à pesquisa da América Latina querem aumentar cooperação regional

Ter, 07 de Maio de 2019 09:24

 

Elton Alisson  |  Agência FAPESP – As grandes instalações científicas já existentes e as que entrarão em operação na América Latina nos próximos anos, como o Sirius – a nova fonte brasileira de luz sincrotron – e o Laboratório Argentino de Feixes de Nêutrons (LAHN) – vão exigir maior cooperação entre as agências de fomento à pesquisa da região tanto para a manutenção dessas infraestruturas, como para o financiamento dos projetos previstos.

 

A avaliação foi feita por Jorge Tezon, gerente de desenvolvimento do Consejo Nacional de Investigaciones Científicas e Técnicas (Conicet), da Argentina, durante o Encontro Anual do Global Research Council (GRC), que terminou dia 03/05, em São Paulo.

 

O encontro, que ocorreu pela primeira vez no Brasil, reuniu chefes de agências de fomento de 50 países dos cincos continentes. O evento foi organizado pela FAPESP, pelo Conicet e pela German Research Foundation (DFG, na sigla em alemão).

 

“O custo de manutenção dessas instalações é muito alto. Será preciso obter recursos, de diferentes fontes, para que essas infraestruturas estejam permanentemente a serviço de multiusuários da comunidade científica latino-americana e internacional. Para isso, será preciso assegurar uma maior cooperação entre as agências de fomento à pesquisa da região”, disse Tezon à Agência FAPESP.

 

Na América Latina, participam do GRC, além do Brasil e da Argentina, o México, o Chile, a Colômbia, a Guatemala, El Salvador e o Panamá – o mais recente país da região a fazer parte do consórcio global. O Uruguai e o Paraguai, ainda não integram o GRC, disse Tezon.

 

“A agência de fomento à inovação do Uruguai tem, pelo menos, oito anos de atuação. Já o sistema de financiamento científico do Paraguai começou a ser organizado mais recentemente. Seria importante que esses e outros países da América Latina ainda não associados passassem a integrar o GRC”, afirmou Tezon.

 

Na avaliação de Claudia Guerrero Monteza, diretora de cooperação internacional da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Senacyt) do Panamá, uma das dificuldades para aumentar a adesão de agências de fomento à pesquisa da América Latina é, primeiramente, identifica-las.

 

Ao contrário de países como o Brasil e a Argentina, cujas agências são independentes e bem identificadas, em outras nações latino-americanas essas agências estão integradas na estrutura de governos, disse Monteza.

 

“Há uma dificuldade de identificar em alguns países da América Latina quem são as agências de fomento. Esse é o primeiro passo para engajarmos mais instituições da região a participar do GRC”, avaliou.

 

Mais informações sobre a 8ª Reunião Anual do Global Research Council: www.fapesp.br/eventos/grc

 

Fonte: Agência FAPESP

 

 

 

 

 
free poker
logo_rodape
Agência de Inovação da UFSCar - Rodovia Washington Luís, km 235 - Caixa Postal 147 CEP: 13565-905
São Carlos, SP - Brasil - Tel: (16) 3351.9040 - inovacao@ufscar.brmaps
mapa